“A inveja é direcionada às pessoas, o ciúme é direcionado às coisas”

Você provavelmente já deve ter presenciado algum momento em que detectou este sentimento de desgosto pela prosperidade ou alegria do outro ou, até mesmo, já foi alvo de inveja no trabalho. Este é um sentimento inerente à natureza humana e presente em nossas vidas muito mais do que se imagina. É o desejo de possuir aquilo que o outro possui, de ter as coisas alheias. Não se trata de ciúmes, que significa ter zelo ou posse pelo outro ou por alguma coisa ou lugar.

Como sei qual a diferença entre ciúmes e inveja?
Vamos imaginar o seguinte cenário: Seu colega de trabalho foi promovido na empresa. Pode-se identificar como ciúmes se você também queria esta promoção, até acreditava que merecia e que este era o momento, ou seja, você estava trabalhando e cuidando para conseguir a promoção e não deu certo. Natural que fique triste e se sinta enciumado pelo ocorrido. Neste caso, não fique com a consciência pesada, é normal e passa.

Agora, pode-se identificar como inveja, se teve um sentimento de desgosto pela alegria e prosperidade que a promoção causou ao seu colega, não ficou triste pela promoção que não lhe foi concedida, muitas vezes você preferiria que a promoção nem viesse pra você, desde que não fosse para aquela pessoa. A inveja é direcionada às pessoas, o ciúme é direcionado às coisas.

A inveja pode contaminar o ambiente de trabalho, dificultar a convivência em equipe e desmotivar as pessoas. Por não suportar a felicidade alheia, o invejoso geralmente culpa o outro pelo seu fracasso e não percebe que o maior prejudicado sempre será ele mesmo, que perde a chance de realizar os próprios sonhos e enxergar seus talentos e aspirações porque perde tempo se comparando com o próximo.

Invejosos quase não têm amigos e procuram oportunidades para diminur o trabalho do colega. Por mais que seu trabalho seja bem feito, ele não vai elogiá-lo e nem parabenizá-lo pelo seu serviço. Se o fazem não usam da sinceridade. Mas, como devo lidar com os invejosos na minha empresa? Quanto mais expostos estamos mais vulneráveis nos tornamos. Existe muita gente que gosta de escancarar a vida particular como forma de chamar a atenção e ser aceito no grupo.

Confiar seus projetos mais íntimos a qualquer pessoa, falar mais do que deveria sobre seus objetivos, não saber guardar certos segredos e não ter a noção exata de sua posição na empresa são alguns fatores que propiciam oportunidades para que o invejoso se coloque como obstáculo em sua carreira.

Evite participar de “rodinhas” de fofocas, caso alguém venha falar de outro colega a você, sutilmente retire-se do local arranjando uma desculpa qualquer, como com muito trabalho e ter de terminar em tempo hábil. Caso alguém peça sua opinião sobre algum colega de trabalho, diga que não se sente em condições para avaliar e mude logo de assunto.

Foque-se em fazer bem o seu trabalho, aliás, fazer bem já não é suficiente para quem quer vencer, faça seu melhor sempre, independente dos outros. Certifique-se que seu desempenho está sendo notado, porém não vanglorie-se disto na frente de ninguém.

E quando nós sentimos aquela pontadinha de inveja, o que fazer? Se você se entende como uma pessoa do bem, leve isso para o lado da admiração. Quando admiramos alguém é comum ficarmos felizes com o sucesso desta pessoa, com suas conquistas e realizações. O fato de não ter ainda aqueles resultados extraordinários daquela pessoa que admira não quer dizer que nunca terá.

Assim começamos a enxergar as qualidades e competências que fizeram do admirado uma pessoa de sucesso e podemos tomá-lo como modelo para realizarmos nossas próprias conquistas.

Desta forma, admire as pessoas pelo quanto elas trabalham para alcançarem os resultados extraordinários.

Essa é grande a diferença e a chave para curar maus pensamentos e a inveja alheia

Venha divulgar seu currículo para 20 mil empresas parceiras, quer saber como?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *