Erros no currículo que ‘dizem’ que você não deve ser contratado

Candidatos que são diretos estão mais propensos a se destacar.

Trabalhador deve pensar no que o empregador quer ver no documento.

É comum que o profissional passe horas elaborando seu currículo, usando as melhores palavras para destacar suas experiências e como ele poderá colaborar em um novo emprego. Mas mesmo com o currículo, aparentemente, muito bem feito e com todas as informações necessárias, o telefone não toca e não há convite para fazer uma entrevista. Então, o que há de errado?

Isso pode ser difícil para os candidatos, mas eles devem pensar no currículo a partir da perspectiva do empregador, que está sob pressão para encontrar o melhor para a vaga que está aberta.

Segundo artigo do Business Insider, os recrutadores estão em busca de qualquer coisa que vai qualificar ou desqualificar o candidato. Um estudo de rastreamento ocular apontou que o entrevistador gasta apenas 6 segundos em cada currículo observando o nome do candidato, posição atual e anterior, empregador, início e fim dos últimos empregos e educação. Se o currículo não consegue se destacar nesse momento, ele não será avaliado novamente.

Candidatos que são diretos e chegam logo “ao ponto” no currículo e na carta de apresentação estão mais propensos a se destacar. O profissional pode aumentar suas chances de ser visto ser pensar como um gerente de contratação na hora em que olhar o seu currículo.

Veja abaixo 6 erros que ‘dizem’ que o profissional não deve ser contratado:

Falta de Carta de Apresentação

O profissional pode ter a iniciativa de incluir uma carta de apresentação mesmo que o anúncio não faça esse pedido. Ele pode descobrir o gerente de contratação pelo LinkedIn e endereçar a carta para ele.

A carta deve ser curta e ir direto ao ponto, com destaques sobre as qualificações do candidato e até mesmo o link do seu perfil no LinkedIn.

Formato Errado

Um dos objetivos do candidato deve ser que seu currículo seja fácil de ser lido e isso inclui o formato em que o arquivo é enviado.

É importante se certificar de que qualquer pessoa consiga abrir o documento, seja em Word, PDF e até mesmo no corpo do e-mail.

Layout

É importante ter que o currículo tenha um layout que destaque o papel do candidato e suas realizações. Cores e imagens não são opções muito boas.

Já quem está em busca de uma vaga em uma área criativa, o candidato deve usar o bom senso para saber até que ponto pode ousar.

Erros Gramaticais

Um currículo cheio de erros mostra excesso de confiança e descuido. O candidato deve sempre se lembrar de checar o documento, procurando por palavras duplicadas e erros.

Uma boa opção é pedir para alguém corrigi-lo, lendo em voz alta. Assim, fica mais fácil de pegar os erros. Também é importante verificar a ortografia da carta de apresentação e do e-mail.

Jargões

O currículo deve apresentar de forma instantânea e clara a carreira do profissional. Dessa forma, é importante que o documento não passe uma mensagem turva sobre o candidato.

O candidato deve escolher palavras que melhor se comuniquem com o que ele faz, mas deve fugir de jargões que não façam sentido. Adjetivos e palavras desnecessárias também.

Tamanho

O candidato não quer “furos” no seu currículo, mas ele não precisa contar a história da sua vida. Ele deve limitar o tamanho a 1 ou 2 páginas e listar somente experiências de trabalho relevantes e resultados alcançados. Atividades extracurriculares devem ser deixadas de lado.

Um currículo curto e com as informações pertinentes vão mostrar ao recrutador que o profissional consegue focar no que realmente interessa.

Fonte: G1

Venha fazer a divulgação de seu currículo para empresas parceiras!

Também faço alteração de layout de seu currículo, quer sabe mais? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *