Recrutadores, é por isto que candidatos não gostam de você…

Confira abaixo os aspectos que fazem com que os candidatos a emprego “odeiem” os recrutadores, e veja se você, como recrutador, é culpado por fazer qualquer uma dessas coisas.

1. Anunciar empregos que não existem. Agências de recrutamento são notórias por publicarem anúncios clichê de empregos que não existem realmente para construir um banco de dados de candidatos que poderiam chamar no futuro. Agências defendem essa prática dizendo que eles preenchem as vagas que são semelhantes às anunciadas o tempo todo – mas muitos candidatos a emprego ficam frustrados quando eles chegam para uma entrevista, apenas para descobrir que não há trabalho para fazer.

Justificado? Eu teria que dizer que sim. Os candidatos a emprego gastam horas e horas se aplicando para posições aparentemente vagas. O processo pode tornar-se um processo tedioso e demorado muito rapidamente. Pense em como é frustrante para um candidato passar o tempo elaborando ou adaptando uma carta de apresentação e currículo para uma posição específica, gastar de 45 minutos a uma hora preenchendo uma aplicação extensiva; ligando e enviando e-mails para verificar o status de sua aplicação só para descobrir que o trabalho realmente não existe?

2. Ligar para os candidatos no trabalho. Parece óbvio que os recrutadores entenderiam por que os candidatos poderiam não querer avisar seus empregadores que eles estão à procura de emprego, mas os recrutadores ligam regularmente para os candidatos no local de trabalho sem a sua permissão – deixando os candidatos tentando disfarçar com quem eles estão falando e por quê.

Justificado? Não. Se os candidatos a emprego não querem que recrutadores liguem no trabalho, eles não devem dar o seu número de trabalho. Os recrutadores devem ser respeitosos e não ligar para um candidato a emprego em qualquer número sem sua permissão, mas uma maneira infalível para evitar isso é apenas listar os números nos quais você se sente confortável que os recrutadores liguem para você. Além disso, liste uma hora específica do dia em que você sabe que vai estar livre, como sua hora de almoço, então mesmo se você estiver no trabalho e o recrutador ligar, você pode responder.

3. Entrar em contato com os candidatos sobre os trabalhos que eles não estão nem remotamente adequados para fazer. Enquanto bons recrutadores podem ler um currículo e ter uma sensação inicial de saber se pode valer a pena falar sobre um determinado com alguém, os recrutadores menos qualificados, por vezes, têm uma abordagem mais dispersa. Como resultado, eles acabam empurrando designers gráficos para entrevistas de trabalho de programação, pesquisadores para entrevista para empregos de vendas e outras inadequações óbvias.

Justificado? Sim, porque cada candidato quer ter a certeza de que ele é a melhor pessoa para o trabalho e o executará como tal. É difícil ter certeza disso quando entrevistado para um papel que não se tem experiência nenhuma de trabalho.

4. Deturpar empregos. Muitos candidatos a emprego foram informados de que eles estavam sendo entrevistados para uma posição para trabalhar em A, B e C, apenas para conhecer o gerente de contratação e descobrir que ele estava realmente à procura de alguém para fazer D e E.

Justificado? Sim. No entanto, às vezes ser entrevistado para uma posição diferente da planejada, pode levar a melhores oportunidades ou um melhor ajuste.

5. Agendar entrevistas por telefone e depois não ligar. Você limpou a sua agenda, se preparou para a entrevista, e talvez até mesmo encontrou um lugar adequado para ter um tempo de silêncio para falar, e então o recrutador não liga no horário agendado.

Justificado? SIM. Isso já aconteceu comigo antes, é extremamente frustrante e deixa uma má impressão no candidato a emprego.

6. Ligar para uma entrevista por telefone não agendada e esperar que o candidato largue tudo para conversar. É bom ligar para um candidato para ver se eles têm alguns minutos para discutir uma posição, mas muitas vezes os recrutadores esperam que a pessoa largue tudo o que está fazendo para dar atenção.

Justificado? Mais uma vez, eu vou dizer que sim. Os recrutadores podem pensar que os candidatos a emprego devem estar dispostos a fazer o que for preciso, e a maioria está, mas isso não é motivo para ser desconsiderado.

7. Alterar o currículos dos candidatos sem a sua permissão. Você deve manter o controle sobre o seu currículo em todos os momentos, mas alguns recrutadores vão mudar detalhes importantes sobre ele sem a sua permissão, às vezes até mesmo reescrevê-lo de forma imprecisa. Isso, é claro, pode resultar em um momento constrangedor se você está reunido com o gerente de contratação e ele lhe pergunta sobre um projeto em que você nunca trabalhou ou acha que você trabalhou em seu último emprego mais tempo do que de fato trabalhou.

Justificado? Eu estou no meio. Por um lado, um recrutador pode ajudar um candidato, corrigindo gramática, removendo informação de contato desnecessárias, etc. No entanto, por outro lado, se você vai mudar drasticamente o currículo de um candidato, notifique-o antecipadamente.

8. Agir com entusiasmo com um candidato, mas, em seguida, desistir do contato. As fileiras de pessoas que procuram emprego estão repletas de pessoas que estão cansadas de ouvir os recrutadores descrevendo o quão perfeitas elas seriam para um determinada função – apenas para depois, nunca mais ouvir falar neles novamente.

Justificado? Sim, mais uma vez, eu já estive nesta situação antes, é frustrante e desperdiça o tempo do candidato. Os recrutadores precisam seguir a regra de ouro: “Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você”.

Fonte: : http://recursosehumanos.com.br/artigo/recrutadores-processo-de-contratacao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *