Falar mal de experiências profissionais anteriores pode ser um fator de eliminação para o candidato. Saiba como abordar este tema durante a entrevista sem sair prejudicado.

  • Os motivos para ter deixado o trabalho anterior podem não ser bons e a experiência pode até ter sido péssima, mas não deve falar mal do seu emprego anterior.
  • Mesmo que não seja essa a sua intenção, corre o risco de algumas respostas serem mal interpretadas pelo entrevistador.
  • O importante é ser sincero nas respostas e não prolongar muito as respostas, mas deve sempre ter algumas cautelas.

Durante uma entrevista de emprego, muito provavelmente vão pedir-lhe para detalhar as suas experiências profissionais anteriores. Uma resposta desadequada, pode valer-lhe a eliminação durante o processo de recrutamento.

Antes de contratar um novo funcionário, é normal que a empresa queira analisar o seu comportamento e desempenho pelas empresas por onde já passou. Afinal, o objetivo passa por selecionar o profissional com o perfil mais adequado para aquela determinada função na empresa e a melhor forma de fazer esta avaliação é conhecendo um pouco melhor o seu passado em empregos anteriores.

O que responder…

Quando questionado a respeito dos empregos anteriores, o candidato deve saber responder às perguntas sem criticar a empresa anterior ou citar desavenças com colegas de trabalho.

Falar mal de experiências anteriores é um fator eliminatório durante uma entrevista de emprego.

Por isso, é necessário ter cuidado na hora de se posicionar.

Os motivos para ter deixado o trabalho anterior podem não ser bons e a experiência pode até ter sido péssima. No entanto, o candidato não pode deixar transparecer essa insatisfação na entrevista e deve estar atento a como o entrevistador pode interpretar as suas respostas.

Existem algumas explicações que podem ser dadas, dependendo da situação pela qual passou. Se pediu demissão após um curto período de tempo na empresa, por exemplo, pode referir que não se adaptou à cultura da empresa; se foi demitido, não pode fazer-se de vítima, e sim comentar que não se encaixava no perfil esperado pela organização, mas que aprendeu muito com a experiência.

Quando alguma situação ou algum funcionário o desmotivou, conduzindo à sua saída da empresa, pode, ainda, comentar que estava à procura de novos desafios profissionais e queria desenvolver sua carreira num local diferente.

O importante é ser sincero nas respostas e evitar dizer mal das empresas anteriores e antigos colegas. Tentar prolongar a explicação também não é uma boa opção. Quanto mais se alongar, mais hipóteses tem de se comprometer. Pode acabar por se enrolar e divulgar informações desnecessárias. O segredo é focar-se no profissionalismo e no desejo de integrar e de contribuir para o sucesso da nova empresa, deixando de lado as opiniões pessoais.

O porquê de ter cuidado…

Mesmo que não seja essa a sua intenção, corre o risco de algumas respostas serem mal interpretadas pelo entrevistador.

Caso o candidato mencione que tinha problemas de relacionamento com os seus antigos colegas de trabalho, pode ser interpretado como sendo instável do ponto de vista emocional; se o profissional saiu das últimas empresas num curto período de tempo, pode transmitir a imagem de que voltará a fazer o mesmo com esta empresa.

Outros ainda justificam as suas saídas do último emprego colocando a culpa na empresa ou nos outros profissionais.

No entanto, ao questionar sobre as experiências anteriores e os motivos de estar à procura de uma nova oportunidade, o técnico de recrutamento apenas quer certificar-se que o profissional não vai agir da mesma forma perante uma nova oportunidade.

Fonte: Universia